Contadores andarilhos

-----

A raposa e as uvas


Certa raposa matreira,
que andava à toa e faminta,
ao passar por uma quinta,
viu no alto da parreira
um cacho de uvas maduras,
sumarentas e vermelhas.


- Ó ai, se as pudesse tragar!

Ó ai, se lhes pudesse chegar!


Saltou uma, saltou duas

Para as tentar apanhar 

Por mais alto que saltasse

Não conseguia tocar

Essas uvinhas maduras

Sumarentas evermelhas. 


- Ó ai, se as pudesse tragar!

Ó ai, se lhes pudesse chegar!


Mas lá naquelas alturas
não as podia alcançar.
Então disse despeitada:
- Estão verdes! Estas uvas
Verdes não servem pra nada!

---