Inovação Educacional
378.6K views | +65 today
Follow
 
Scooped by Luciano Sathler
onto Inovação Educacional
Scoop.it!

Métricas financeiras na venda de cursos online

Métricas financeiras na venda de cursos online | Inovação Educacional | Scoop.it

Uma plataforma LMS ( Learning Management Systems) deve oferecer recursos que irão facilitar a gestão de negócio feita por quem oferece cursos online. O instrutor ou uma equipe responsável por analisar as métricas das escolas deve avaliá-las e transformá-las em conhecimento acerca da evolução do seu desempenho. E é por isso que as métricas de finanças são tão importantes para a venda de cursos online! O post de hoje do Edools irá falar sobre a melhor forma de analisá-las e como os resultados podem ajudar você a potencializar o seu negócio.
Métricas de Finanças: Como analisá-las?
Semanal? Mensal? Trimestral? Você deve estipular um período de tempo de acordo com os interesses da sua escola e a disponibilidade de quem gerencia tal questão, e assim analisá-las, tendo como parâmetro de desenvolvimento tanto a comparação com dados anteriores do negócio quanto da concorrência. É importante também que a plataforma ofereça dados de transações bancárias, faturamento bruto da escola, quais cursos estão sendo mais vendidos e quais não estão fazendo muito sucesso. Isso tudo para que você possa ter controle tanto sobre a evolução em números do seu curso e do seu negócio, quanto gerenciar os pagamentos dos alunos.
No entanto, isso depende da plataforma de ensino online que a escola utiliza, pois algumas não oferecem tal grau de personalização ou de detalhamento, ou nem mesmo oferecem isso de uma forma integrada e prática.
Como transformar os resultados financeiros em conhecimento para sua escola?
Após verificar os dados numéricos e analisá-los, é hora de transformar informação em conhecimento! De pouco adianta coletar tais dados se você não utiliza tais resultados para levantar hipóteses e transformar o seu negócio na prática. Assim, você deve questionar o seu negócio sempre que necessário, levantar hipóteses e validá-las junto ao cliente: o seu aluno.
Por exemplo, se um curso teve um retorno muito alto durante um determinado tempo, mas atualmente encontra-se estagnado, você deve avaliar as variáveis que estão influenciando a falta de vendas. Será que o conteúdo se tornou obsoleto? Surgiram novas implicações sobre o tema? Seu concorrente está oferecendo o mesmo conteúdo com maior qualidade e menor preço? São várias questões que devem ser investigadas junto ao seu cliente e a averiguação pode resultar tanto em solução do problema, quanto na descoberta de novas oportunidades de mercado.
Outro exemplo, se um mesmo aluno compra outros cursos oferecidos por uma escola, isso provavelmente significa que ele gostou da forma como a sua escola abordou tal conteúdo. Esse aspecto positivo também vale a pena ser avaliado. O que o atraiu realmente? Será que foi somente o conteúdo ou algo mais como qualidade de vídeos ou questões mais técnicas como gestão de aluno satisfatória? Nesse caso, a busca por resposta representa o conhecimento que você tem acerca do seu negócio, e a partir desse levantamento você também pode aprimorar a cada dia mais o seu modelo de negócios.

more...
No comment yet.
Inovação Educacional
Noticias, publicacoes e artigos de opiniao que abram caminhos para a inovacao educacional.
Your new post is loading...
Your new post is loading...
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

A mudança na natureza do trabalho

A mudança na natureza do trabalho | Inovação Educacional | Scoop.it

Por Luciano Sathler
O Banco Mundial divulgou recentemente o Relatório de Desenvolvimento Mundial, publicação anual em que aborda temas relevantes do presente que afetam o futuro da sustentabilidade socioeconômica e ambiental das nações.
O tema da edição de 2019 é a mudança da natureza do trabalho. Envolve os impactos dos novos modelos de negócios propiciados pela tecnologia, a automação, bem como as respostas inclusivas que os governos e a sociedade civil precisam trabalhar a fim de preparar as pessoas para uma nova realidade.
Aqui, trazemos uma leitura dos trechos iniciais do Relatório de Desenvolvimento Mundial 2019, especialmente na sua base conceitual, que relaciona automação e inovação com a geração ou extinção de empregos.
É mais fácil avaliar como a tecnologia molda a demanda por competências, e gera transformações nos processos de produção, do que estimar seu efeito sobre as perdas de vagas para trabalhadores.
Há uma mudança nas competências mais bem recompensadas no mundo de trabalho. O prêmio é maior para as que não podem ser substituídas por robôs – competências cognitivas, como o pensamento crítico, e competências socioemocionais, como a gestão e a empatia que melhora o trabalho em equipe.
Trabalhadores com essas competências de maior complexidade são mais adaptáveis aos novos tempos. A disrupção dos processos desafia as fronteiras tradicionais das empresas, ao expandir cadeias globais de valor e alterar a geografia dos empregos.
Tecnologia e competências
A tecnologia tem alterado a forma como as pessoas trabalham – é crescente o número de organizações que mantêm contratos com profissionais independentes para compromissos de curto prazo. Nesse contexto, a precarização das relações de trabalho é especialmente agravada em um país como o Brasil, historicamente marcado pelo fosso da desigualdade de renda e de oportunidades.
A tecnologia aumentou a demanda por competências cognitivas e socioemocionais, tanto nas economias mais ricas quanto nas empobrecidas. As habilidades rotineiras, por outro lado, entraram em declínio.
É interessante notar, contudo, que a remuneração para combinações de diferentes tipos de competências parece aumentar. Essas alterações ocorrem não só por meio de novos empregos, que substituem trabalhos antigos, mas também pela mudança do perfil de competências em trabalhos existentes.
Algumas características da atual onda de progresso tecnológico são notáveis. As tecnologias digitais permitem que empresas surjam, expandam-se, diminuam ou desapareçam muito mais rapidamente, tornando difusos os limites dos negócios e da concorrência, além de desafiarem os padrões tradicionais de produção. Novos modelos de negócios – empresas de plataforma digital – evoluem de startups locais para se tornarem gigantes globais, muitas vezes com poucos funcionários e pequenos ativos tangíveis.
A capacidade fiscal para arrecadação dos governos é reduzida pela natureza virtual dos ativos produtivos. A ascensão dos mercados de plataforma permite que os efeitos da tecnologia alcancem mais pessoas mais rapidamente do que nunca. Indivíduos e empresas precisam apenas de uma conexão de banda larga para negociar bens e serviços online. Essa “escala sem massa” traz oportunidade econômica para milhões de pessoas que não vivem em países industrializados ou mesmo em áreas industriais.
A mudança dos tipos de competências e habilidades demandadas atinge essas mesmas pessoas. A automação eleva a remuneração sobre competências cognitivas de alta ordem em países avançados e economias emergentes. Investir no capital humano é a prioridade para aproveitar ao máximo essa evolução de oportunidade econômica.
As tecnologias digitais permitem que as empresas se automatizem, ao substituir o trabalho humano por máquinas. Ao mesmo tempo ampliar as oportunidades para inovar, pois expandem o número de trabalhos, serviços e produtos. O futuro do trabalho será determinado pela batalha entre automação e inovação – veja a figura mais abaixo. Em resposta à automação, declina o emprego em setores antigos. Já com a inovação, surgem novos setores e novos trabalhos.
Capital humano
Na maior parte dos últimos 40 anos, o capital humano tem servido como um escudo contra a automação, em parte porque as máquinas eram menos aptas para replicar tarefas mais complexas. Trabalhos com necessidades de baixa ou média competências foram mais afetados pela mudança tecnológica, por serem mais suscetíveis à automação ou pela menor complementaridade com a tecnologia.
O resultado é que a automação tem reduzido drasticamente a demanda por trabalhadores menos qualificados e a inovação tem favorecido os que têm acesso a mais educação de melhor qualidade – formal ou não-formal. Uma grande questão é se os trabalhadores deslocados pela automação terão competências necessárias para ocuparem os novos empregos criados pela inovação.
Como dito, três tipos de competências são cada vez mais importantes no mundo do trabalho:
1. Competências cognitivas avançadas, como resolução complexa de problemas;
2. Competências socioemocionais, como exigidas para o trabalho em equipe, e;
3.  Combinações de competências que são preditivas de adaptabilidade, como raciocínio crítico, resiliência e autoeficácia.
Desenvolver essas competências requer fortes fundamentos do capital humano e aprendizagem ao longo da vida, a começar pelos cuidados na primeira infância.
No entanto, os governos nos países mais empobrecidos não priorizam adequadamente o desenvolvimento na primeira infância e os resultados do capital humano entregues pela educação básica estão muito aquém do ideal – como no Brasil. A educação superior acaba por refletir a falta de priorização, direcionamento e financiamento adequados a diferentes perfis institucionais e dissociados da realidade local.
A criação de empregos formais é o melhor caminho, consistente com a agenda decente da Organização Mundial do Trabalho, para aproveitar as oportunidades da mudança tecnológica. Nos países empobrecidos, a maioria dos trabalhadores permanece nos empregos de baixa produtividade, muitas vezes no setor informal, com pouco acesso à tecnologia.
Falta de empregos de qualidade no setor privado deixa talentosos jovens com poucos caminhos para o emprego assalariado, assim como um ambiente inóspito ao empreendedorismo desestimula a juventude – uma triste realidade também junto a egressos da educação superior, inclusive da pós-graduação.
Quanto à educação continuada, ampliar e melhorar as oportunidades de aprendizagem dos adultos é uma necessidade para permitir aos que deixaram a escola que se alinhem de acordo com as mudanças das demandas do mundo do trabalho.
Para as sociedades se beneficiarem do potencial que a tecnologia oferece, elas precisarão de um novo contrato social centrado em maiores e mais bem direcionados investimentos na educação de qualidade, que garantam mais chances de inclusão da população e, progressivamente, a proteção social universal.

more...
No comment yet.
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

Por que protestamos pela educação?

Por que protestamos pela educação? | Inovação Educacional | Scoop.it

Não é de hoje que nossos indicadores educacionais são ruins, mesmo comparando com o resto da América Latina. Em 1950, a população argentina e chilena com mais de 15 anos tinha quase cinco anos de escolaridade, enquanto no Brasil tínhamos uma média de dois anos. Nos 30 anos, seguintes essa média subiu para 7,3 na Argentina e 6,95 no Chile, enquanto no Brasil ganhamos aproximadamente um ano de escolaridade média entre 1950 e 1980 de acordo com os dados do Barro e Lee.
Após a democratização melhoramos e hoje nossa população tem quase oito anos de escolaridade, ainda abaixo dos 9,5 da Argentina ou 9,78 do Chile. Porém, apesar de termos mais crianças na escola, temos muitas crianças alfabetizadas tardiamente, uma taxa de repetência enorme, um abandono no ensino médio altíssimo e aprendizagem na sala de aula extremamente deficiente.
Por que a população não sai pra rua demandando mais recursos para educação, mais escolas e professores, melhor qualidade do ensino? Acho que há três diferentes explicações. 
A primeira é que as pessoas não sabem quanto é o gasto educacional e quão ruim é a qualidade da educação. Os cortes feitos pelo governo de Jair Bolsonaro colocaram essa informação em evidência e, sabendo que a educação receberá menos recursos, as pessoas foram protestar. Mas esse não parece ser um fator de primeira ordem para explicar os protestos.
NÃO DEVEMOS ALOCAR RECURSOS SOMENTE PARA OS GRUPOS QUE GRITAM MAIS ALTO
Desde 2005 o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) divulga indicadores de qualidade escolar a cada dois anos para municípios, estados e para o Brasil. Nenhuma dessas divulgações levou a grandes protestos, mesmo quando os resultados parecem medíocres. O resultado do Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Alunos, na sigla em inglês), que permite comparações com outros países, também é divulgado de forma sistemática e não leva muita gente pra rua cada vez que aparece que o Brasil está muito longe da Finlândia.
Uma segunda explicação é que recursos para a educação universitária geram maior pressão do que educação básica. Não por serem mais importantes ou porque as pessoas conhecem mais seus valores e qualidade, mas porque o problema de ação coletiva de sair para protestar é mais fácil de ser resolvido.
Enquanto estudantes universitários e professores são diretamente afetados pelos cortes e têm alta capacidade de mobilização, alunos de escolas básicas, principalmente crianças de ensino fundamental, têm pouca capacidade de mobilização por sua alfabetização. Claro que seus pais poderiam protestar por eles, mas essa não é a maior demanda da população adulta num contexto em que emprego e renda são fundamentais e os retornos a uma educação de qualidade só serão sentidos no futuro.

more...
No comment yet.
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

Are robots sexist? UN report shows gender bias in talking digital tech

Are robots sexist? UN report shows gender bias in talking digital tech | Inovação Educacional | Scoop.it
Why do most voice assistants have female names, and why do they have submissive personalities? The answer, says a new report released on Friday by UNESCO, the UN’s Education, Science and Culture agency, is that there are hardly any women working in the technical teams that develop these services and other cutting-edge digital tools.
more...
No comment yet.
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

Números do Ensino Superior Privado no Brasil 2018

Números do Ensino Superior Privado no Brasil 2018 | Inovação Educacional | Scoop.it
A décima oitava edição dos “Números do Ensino Superior Privado no Brasil 2018” – ano base 2017 –, organizada pela Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), com base nos dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep/MEC), tem como objetivo demonstrar, compacta e claramente, as dimensões da iniciativa privada de ensino superior.
more...
No comment yet.
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

As polêmicas propostas de lei que permitem (e incentivam) o estudo da Bíblia em escolas dos EUA

As polêmicas propostas de lei que permitem (e incentivam) o estudo da Bíblia em escolas dos EUA | Inovação Educacional | Scoop.it

Um número crescente de Estados americanos vem discutindo projetos de lei que permitem, incentivam e, em alguns casos, exigem que escolas públicas ofereçam aulas sobre a Bíblia.
Somente neste ano, pelo menos dez Estados já debateram propostas para que estudantes do Ensino Médio possam participar de aulas eletivas sobre o Antigo e o Novo Testamento e a influência da Bíblia na literatura, cultura e história dos Estados Unidos e do mundo.
Para os idealizadores, essas medidas seriam uma maneira de resgatar valores tradicionais nas escolas e permitir que os alunos estudem o texto religioso mais profundamente.

more...
No comment yet.
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

Testes com ônibus sem motoristas avançam no mundo e geram temor sobre corte de empregos

Testes com ônibus sem motoristas avançam no mundo e geram temor sobre corte de empregos | Inovação Educacional | Scoop.it
Diversas cidades como Lisboa, onde a reportagem da Folha experimentou uma viagem num veículo autônomo, vêm testando formas de repassar as funções do motorista para sistemas, numa rota gradual cujo ponto final pode ser a extinção da profissão. 
more...
No comment yet.
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

Universidade Federal de Ouro Preto - Docentes  - Inscrições do dia 20/05/2019 até o dia 13/06/2019, Concurso Público para Professor de Magistério Superior

Universidade Federal de Ouro Preto - Docentes  - Inscrições do dia 20/05/2019 até o dia 13/06/2019, Concurso Público para Professor de Magistério Superior | Inovação Educacional | Scoop.it

Abertas, do dia 20/05/2019 até o dia 13/06/2019, inscrições para Concurso Público para Professor de Magistério Superior- Edital PROAD 39/2019 (DIVERSAS ÁREAS)

more...
No comment yet.
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

Uso de inteligência artificial elevará desemprego no país

Uso de inteligência artificial elevará desemprego no país | Inovação Educacional | Scoop.it
Responsável por reduzir burocracias, automatizar processos e aumentar a eficiência, a inteligência artificial (IA) pode aumentar o desemprego no País em quase 4 pontos porcentuais, nos próximos 15 anos. Os dados são de um estudo desenvolvido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), em parceria com a Microsoft, e foram apresentados ontem.
more...
No comment yet.
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

Aluno deve ser ressarcido se curso a distância não for válido

Aluno deve ser ressarcido se curso a distância não for válido | Inovação Educacional | Scoop.it

Essa expansão tem levado os Procons do país a orientar os consumidores sobre possíveis abusos e fraudes. Segundo o coordenador do Procon Assembleia, Marcelo Barbosa, os maiores problemas são quando o aluno descobre, após ter feito o curso, que o diploma entregue pela instituição não é reconhecido – ou quando o certificado nem é enviado.
Barbosa orienta os interessados a se informarem junto ao Ministério da Educação (MEC) antes da matrícula. “É preciso ficar atento com relação à autorização, ao reconhecimento e à diplomação por parte do MEC. É importante ler o contrato atentamente e verificar se as matérias são apenas virtuais ou se é necessária a presença do aluno”, afirma Barbosa, que indica que a checagem pode ser feita nos sites do MEC ou pelo telefone da pasta.

more...
No comment yet.
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

Así enseña el MIT inteligencia artificial a los niños | Innovación 

Así enseña el MIT inteligencia artificial a los niños | Innovación  | Inovação Educacional | Scoop.it
PopBot es un robot social diseñado para que los más pequeños puedan aprender inteligencia artificial de forma constructiva, creativa, práctica y barata
more...
No comment yet.
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

Os melhores lugares para abrir uma startup — com uma promessa brasileira

Os melhores lugares para abrir uma startup — com uma promessa brasileira | Inovação Educacional | Scoop.it
Estudo elencou os 30 melhores ecossistemas para negócios inovadores, junto de algumas regiões que podem entrar para essa lista nos próximos anos
more...
No comment yet.
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

Amazon busca ir além da web e ganhar mercado com lojas físicas

Amazon busca ir além da web e ganhar mercado com lojas físicas | Inovação Educacional | Scoop.it
Depois de quebrar livrarias e lojas pelo mundo, a Amazon está agora se materializando em espaços físicos, dentro de seus planos de expansão no varejo e outras searas, como serviços de saúde e bancários. Nos EUA, já são 38 lojas em 10 estados, incluindo supermercados ultra tecnológicos.
more...
No comment yet.
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

Mortos seguem vivos e continuam a fazer amigos no Facebook

Mortos seguem vivos e continuam a fazer amigos no Facebook | Inovação Educacional | Scoop.it
Pesquisas apontam que perfis de pessoas mortas serão maioria na rede social até o fim do século
more...
No comment yet.
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

Ensino fundamental tem maior influência na compreensão pública da ciência

Ensino fundamental tem maior influência na compreensão pública da ciência | Inovação Educacional | Scoop.it

A maioria das crenças e opiniões sobre ciência e saúde são adquiridas na fase do ensino fundamental, e as etapas posteriores de escolarização têm muito pouco efeito sobre elas, indicam os resultados de pesquisa sobre compreensão pública da ciência conduzida em março pelo Datafolha, a pedido do Instituto Questão de Ciência (IQC). Foram encontradas, no entanto, duas importantes exceções a esse padrão: a realidade da mudança climática e da evolução das espécies ganha aceitação com mais anos de estudo.
O levantamento, em que foram ouvidos mais de 2 mil brasileiros maiores de 16 anos, em 130 municípios de todas as regiões do país, numa amostra representativa da população brasileira, avaliou o grau de concordância dos entrevistados com uma série de afirmações que ou refletem consensos da comunidade científica, ou crenças pseudocientíficas e conspiratórias. Quando analisados pelo filtro do nível de instrução, os resultados mostraram, na maior parte dos casos, muita pouca variação.

more...
No comment yet.
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

Veja dicas de como criar um aplicativo para smartphone

Veja dicas de como criar um aplicativo para smartphone | Inovação Educacional | Scoop.it
Tem ideias para criar aplicativos, mas precisa de dicas para dar o primeiro passo? Nós te ajudamos.
more...
No comment yet.
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

Why collaborating with industry can provide a career boost

Why collaborating with industry can provide a career boost | Inovação Educacional | Scoop.it
Neuroscientist Blaine Roberts explains how partnering with companies, or a consortium of companies, can bring significant benefits to researchers — from funding and training to expanding professional networks.
more...
No comment yet.
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

A empresa com 2 mil atores que aluga namorados, amigos e até pais no Japão

A empresa com 2 mil atores que aluga namorados, amigos e até pais no Japão | Inovação Educacional | Scoop.it

Yuichi Ishii é um japonês muito mais alto do que a média. Magro, de aparência tranquila e rosto cansado. Não é para menos. Ele está prestes a completar 38 anos, mas tem mais filhos que qualquer outra pessoa da sua idade.
A diferença é que eles são seus filhos apenas quatro horas por dia, algumas vezes por semana, dependendo da necessidade de cada cliente. Há dez anos, ele fundou a empresa Family Romance, especializada no aluguel de amigos e familiares.

more...
No comment yet.
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

Por que quase não há registros dos primeiros cinco anos da internet

Por que quase não há registros dos primeiros cinco anos da internet | Inovação Educacional | Scoop.it

A decadência veloz - e invisível - da internet
O Million Dollar Homepage mostra que a decadência deste período inicial da internet é quase invisível.
No mundo analógico, o fechamento de, digamos, um jornal local é frequentemente divulgado. Mas sites morrem muitas vezes sem alarde, e o primeiro indício que você pode ter de que eles não estão mais lá é quando você clica em um link e se depara com uma página em branco.
Cerca de uma década atrás, passei dois anos trabalhando em um blog de rock e na seção de música do portal AOL, um grande pioneiro da internet agora pertencente à empresa norte-americana de telefonia Verizon.
Editei ou escrevi centenas de resenhas, notícias de música, entrevistas de artistas e listas. O Facebook e o Twitter já eram grandes fontes de audiência, e os smartphones nos conectavam à internet entre o escritório e nossa casa. Navegar havia se tornado uma atividade constante.
Você poderia razoavelmente supor que, se eu precisasse mostrar o meu trabalho desta época, bastaria fazer uma pesquisa no Google. Mas você estaria errado.

more...
No comment yet.
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

Sustentabilidade: das ideias às ações transformadoras

Sustentabilidade: das ideias às ações transformadoras | Inovação Educacional | Scoop.it

Institucionalmente, o Brasil já conhece suas metas: reduzir emissões dos gases do efeito estufa em 43% frente a 2005; restaurar e reflorestar 12 milhões de hectares; incentivar a integração de lavoura, pecuária e florestas em 5 milhões de hectares; zerar o desmatamento ilegal; atingir 45% de energias renováveis no mix brasileiro, sendo 18% em bioenergia; e expandir o consumo por biocombustíveis.
Nesse sentido, o setor de árvores plantadas para fins industriais é um dos aptos a fortalecer os objetivos do Brasil no Acordo de Paris e ajudar a trazer essa meta para ação. 
Somos o maior expert mundial em plantio de árvores para fins industriais com plantações feitas em áreas degradadas previamente pelo homem. Estocamos 4,2 bilhões de toneladas de CO2 equivalente. 

more...
No comment yet.
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

Cortes na educação afastam investidores estrangeiros do Brasil

Cortes na educação afastam investidores estrangeiros do Brasil | Inovação Educacional | Scoop.it
A disponibilidade de mão de obra qualificada é um requisito fundamental para o país receber investimentos, sobretudo para atividades de alta concentração tecnológica – justamente aquelas que mais geram valor agregado para o Produto Interno Bruto (PIB). Empresas buscam capital humano elevado para construir bases que possam se integrar às cadeias globais de valor.
more...
No comment yet.
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

Universitários de SP enfrentam dificuldades para quitar dívidas do Fies

Universitários de SP enfrentam dificuldades para quitar dívidas do Fies | Inovação Educacional | Scoop.it
Estudantes que ganham até 1,5 salário mínimo (R$ 1.497) são os que mais têm problemas para pagar o financiamento, de acordo com o MEC.
more...
No comment yet.
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

'Esse governo vai provocar o que parecia impossível: piorar a educação', afirma Cristovam Buarque

'Esse governo vai provocar o que parecia impossível: piorar a educação', afirma Cristovam Buarque | Inovação Educacional | Scoop.it

Ao comentar os governos do PT, seu antigo partido, ele acusa Lula e Dilma Rousseff de "concentrar os esforços no ensino superior e abandonar a educação de base".
"E por que fez isso? Por razões eleitoreiras, porque a universidade dá voto, a educação de base não dá voto. O Lula conseguiu vender a ideia do consumo do diploma", afirma.
"As pessoas entram na universidade para ter um diploma, não para ter conhecimento. O Lula conseguiu fazer isso, porque ele usou como uma ascensão (social), não como uma alavanca do progresso. Minha maior frustração foi essa", reforça.

more...
No comment yet.
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

Vale inicia construção de muro para conter lama de barragem em Barão de Cocais

Vale inicia construção de muro para conter lama de barragem em Barão de Cocais | Inovação Educacional | Scoop.it
Construção de um muro a seis quilômetros da Barragem Sul Superior, em Barão de Cocais, na Região Central de Minas Gerais, é uma das alternativas para conter os rejeitos em caso de rompimento da estrutura. Um mês depois de apresentar o projeto da megaestrutura, que deve ter 35 metros de altura, 307 de comprimento e 10 de largura na parte superior, a Vale iniciou os primeiros trabalhos de implantação. Segundo a mineradora, a medida será para reter grande parte dos materiais que podem vazar do reservatório.
more...
No comment yet.
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

Como teclado de startup mineira está ajudando portadores de paralisia cerebral

Como teclado de startup mineira está ajudando portadores de paralisia cerebral | Inovação Educacional | Scoop.it
Criação tem dado autonomia e acessibilidade, aos meios educacionais, a quem antes dependia de ajuda de outras pessoas para se comunicar
more...
No comment yet.
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

Abandonar o Facebook é mais fácil para países ricos

Abandonar o Facebook é mais fácil para países ricos | Inovação Educacional | Scoop.it
Embora seja palco de desinformação e de práticas de desrespeito aos direitos individuais e à privacidade, o Facebook tornou-se sinônimo de internet em muitos países pobres, tal a extensão em que permeia a vida de seus cidadãos. Desafio é tornar a rede social mais justa e democrática
more...
No comment yet.
Scooped by Luciano Sathler
Scoop.it!

'Verba pública é o coração do fomento à ciência', diz diretor do Serrapilheira 

'Verba pública é o coração do fomento à ciência', diz diretor do Serrapilheira  | Inovação Educacional | Scoop.it

Na mesma semana em que milhares de pessoas foram às ruas protestar contra os cortes governamentais que atingem a ciência do Brasil, a única instituição privada nacional de fomento à pesquisa, o Serrapilheira, anunciou o investimento de até R$ 12 milhões em estudos brasileiros. 
Mas o diretor do instituto é enfático ao dizer que dinheiro privado não é a solução, que ciência precisa ser feita com verba pública e não pode ser focada em lucro.
“Precisamos aceitar a futilidade do investimento científico”, diz Hugo Aguilaniu, diretor do Serrapilheira, em entrevista à Folha. “Ninguém vai curar diabetes porque quer curar diabetes. Você faz uma pesquisa que parece totalmente inútil e essa descoberta feita ali vai levar ao entendimento do processo da cura do câncer. Nunca ou raramente é uma coisa calculada.”
E, segundo ele, o governo tem que assumir esse custo que não necessariamente gera retorno. “É como se fosse um acordo entre o governo e o resto da cadeia produtiva. Em qualquer lugar do mundo é assim. Mesmo nos EUA, onde as indústrias investem pesadamente nas pesquisas, o investimento público é muito forte porque as pessoas entendem esse papel. O investimento público precisa apoiar a pesquisa básica, que depois gera tecnologia, produto, economia para as empresas.”

more...
No comment yet.