Crise de Cris: Sylvia Plath | Sylvia Plath | Scoop.it

Sendo sincera, eu ia escrever sobre o Edgar Allan Poe, mas eu resolvi mudar e escrever sobre a Sylvia Plath, pelo simples motivo que adorei a poesia lida em sala de aula “Mad girl’s love song”. Eu pesquisei sobre sua vida e obra na internet, encontrei muitos sites e um blog escrito como um diário sobre sua vida e sentimentos, mas minha inspiração para este texto foi este poema: The Arrival of the Bee Box
I ordered this, clean wood box Square as a chair and almost too heavy to lift. I would say it was the coffin of a midget Or a square babyWere there not such a din in it. The box is locked, it is dangerous. I have to live with it overnight And I can't keep away from it. There are no windows, so I can't see what is in there. There is only a little grid, no exit. I put my eye to the grid. It is dark, dark, With the swarmy feeling of African hands Minute and shrunk for export, Black on black, angrily clambering. How can I let them out? It is the noise that appalls me most of all, The unintelligible syllables. It is like a Roman mob, Small, taken one by one, but my god, together! I lay my ear to furious Latin. I am not a Caesar. I have simply ordered a box of maniacs. They can be sent back. They can die, I need feed them nothing, I am the owner. I wonder how hungry they are. I wonder if they would forget meIf I just undid the locks and stood back and turned into a tree. There is the laburnum, its blond colonnades, And the petticoats of the cherry. They might ignore me immediately In my moon suit and funeral veil. I am no source of honey So why should they turn on me? Tomorrow I will be sweet God, I will set them free. The box is only temporary.
Gostei muito dele, mesmo que na minha visão tenha um tom de mistério, algo sombrio, é chocante e agressivo, quando eu leio parece que algo está me devorando e não consigo me libertar até terminar de ler. Talvez o fato do perigo, do escuro e do barulho, cause certo desconforto, choca principalmente na ultima linha “A caixa é apenas temporária”, o que na minha visão quer dizer que estamos presos (a pessoas, coisas, trabalhos), mas isso é temporário e um dia Deus vai nos libertar.
Gostaria de escrever também sobre “Mad girl’s love song”, que foi visto tão rapidamente em sala de aula, porque nele é falado sobre a criação da mente, a idealização do ser amado; cheguei a conclusão que realmente somos nós que criamos as ilusões e depois sofremos com a descoberta da realidade, por que nada é perfeito e se conformar com as nossas falhas e aceitar a dos outros é muito difícil.
Assisti o filme sobre a vida dela, eu gostei porque não é exagerado e nem apelativo e o que mais achei interessante é que o suicídio dela não foi explorado, sendo “suave” a maneira representada no filme.
Com certeza aprendi muito com todos os escritores, e para falar tudo, seria preciso várias folhas, então a escolhi para sintetizar minhas idéias, acho que o maior ensinamento que obtive com a Sylvia Plath é fazer a diferença e não deixar o amargo da vida tomar conta de nós. Ela se matou, o marido ficou com os direitos autorais, ela não viu o crescimento dos filhos, então, com certeza desistir da vida não vale à pena, podemos até escrever coisas depressivas e melancólicas nos blogs para extravasar as angústias do dia-a-dia, mas é preciso que procurar a felicidade sempre.
É importante conhecer histórias de escritores como Sylvia Plath, Elizabeth Bishop, Edgar Allan Poe, entre outros, primeiro pela importância literária, segundo para perceber que a vida não é ruim e o que se tem é o suficiente para a felicidade e sucesso.