Filosofia ESPAN
71 views | +0 today
Follow
Filosofia ESPAN
Disciplina de Filosofia
Curated by crespan
Your new post is loading...
Your new post is loading...
Scooped by crespan
Scoop.it!

O homem que mostrou que os manuais de cristalografia estavam errados

O homem que mostrou que os manuais de cristalografia estavam errados | Filosofia ESPAN | Scoop.it
O Prémio Nobel da Química foi hoje atribuído ao israelita Daniel Shechtman (70 anos), do Instituto Technion, em Haifa, Israel, “pela descoberta dos quase-cristais”, anunciou em Estocolmo, a capital sueca, o comité Nobel.
more...
No comment yet.
Scooped by crespan
Scoop.it!

A Arte de Pensar: Ciência e pseudociência

A Arte de Pensar: Ciência e pseudociência | Filosofia ESPAN | Scoop.it

Muitos filósofos tentaram solucionar o problema da demarcação nos seguintes termos: uma afirmação constitui conhecimento se um número suficiente de pessoas acreditar nele com suficiente firmeza. Mas a história do pensamento mostra-nos que muitas pessoas aderiram totalmente a crenças absurdas

more...
No comment yet.
Scooped by crespan
Scoop.it!

Religião para ateus - Opinião - DN

Religião para ateus - Opinião - DN | Filosofia ESPAN | Scoop.it
Uma amiga tinha-me oferecido a tradução francesa do livro, com o título: Pequeno guia das religiões para uso dos não crentes. Rapidamente, apareceu também a tradução em português, seguindo o título original: Religion for Atheists.
more...
No comment yet.
Scooped by crespan
Scoop.it!

Crítica: Guia das Falácias de Stephen Downes

Crítica: Guia das Falácias de Stephen Downes | Filosofia ESPAN | Scoop.it

O objectivo de um argumento é expor as razões (premissas) que sustentam uma conclusão. Um argumento é falacioso quando parece que as razões apresentadas sustentam a conclusão, mas na realidade não sustentam. Da mesma maneira que há padrões típicos, largamente usados, de argumentação correcta, também há padrões típicos de argumentos falaciosos. A tradição lógica e filosófica procurou fazer um inventário e dar nomes a essas falácias típicas e este guia faz a sua listagem.

more...
No comment yet.
Scooped by crespan
Scoop.it!

Crítica: A teoria da justiça de John Rawls

Crítica: A teoria da justiça de John Rawls | Filosofia ESPAN | Scoop.it

Há crianças vendidas por pais extremamente pobres a quem tem dinheiro e falta de escrúpulos para as comprar; pessoas cujo rendimento não permite fazer mais do que uma refeição por dia; jovens que não têm a menor possibilidade de adquirir pelo menos a escolaridade básica; cidadãos que estão presos por terem defendido as suas ideias. Perante casos destes sentimos que as nossas intuições morais de justiça e igualdade não são respeitadas. Surge assim a pergunta: Como é possível uma sociedade justa?

more...
No comment yet.
Scooped by crespan
Scoop.it!

Crítica: O que é a arte?

Crítica: O que é a arte? | Filosofia ESPAN | Scoop.it

Qual é o critério para determinar se é arte? Por estranho que pareça continua a haver almas que se dedicam ao tema.

more...
No comment yet.
Scooped by crespan
Scoop.it!

Animação da "Alegoria da Caverna" de Platão

Animação da "Alegoria da Caverna" de Platão no Youtube

more...
No comment yet.
Scooped by crespan
Scoop.it!

Filosofia & Educação: Religião e o sentido da existência

Quem é que, num momento ou noutro, ao olhar um céu nocturno, ao contemplar uma flor ou ao reflectir sobre si próprio e os outros seres humanos, não se interrogou já acerca da razão de ser disto tudo ou não se perguntou por que razão está aqui e como deve viver para que a sua vida tenha sentido? Estas são questões que têm intrigado os homens desde tempos imemoriais e são certamente algumas das perguntas mais importantes que o ser humano pode colocar sobre si próprio. Há mesmo quem, como Albert Camus, vá ao ponto de afirmar que estas são as únicas questões verdadeiramente importantes

more...
No comment yet.
Scooped by crespan
Scoop.it!

Crítica: A ética de John Stuart Mill

Crítica: A ética de John Stuart Mill | Filosofia ESPAN | Scoop.it

O utilitarismo é um tipo de ética consequencialista. O seu princípio básico, conhecido como o Princípio da Utilidade ou da Maior Felicidade, é o seguinte: a acção moralmente certa é aquela que maximiza a felicidade para o maior número. E deve fazê-lo de uma forma imparcial: a tua felicidade não conta mais do que a felicidade de qualquer outra pessoa. Saber por quem se distribui a felicidade é indiferente. O que realmente conta e não é indiferente é saber se uma determinada acção maximiza a felicidade.

more...
No comment yet.
Scooped by crespan
Scoop.it!

Crítica - criticanarede.com

Crítica - criticanarede.com | Filosofia ESPAN | Scoop.it

Recensão do livro "An Essay on Free Will" de Peter van Inwagen, no sítio da revista Crítica.

more...
No comment yet.