Educação, sociedade e atualidade
12 views | +0 today
Follow
Your new post is loading...
Your new post is loading...
Scooped by Paulo Alves Mesquita Bueno
Scoop.it!

A new online Isaac Newton archive sheds light on an era when science and faith were undivided

A new online Isaac Newton archive sheds light on an era when science and faith were undivided | Educação, sociedade e atualidade | Scoop.it
Liz Williams: Face to faith: Both philosophers of science and historians of the esoteric take an interest in the way theology, alchemy, divination, physics, optics, healing and plain old black magic were once intertwined...
more...
No comment yet.
Rescooped by Paulo Alves Mesquita Bueno from Tout et Rein by renaloo.com
Scoop.it!

Assurance-maladie : les professionnels de santé sont ceux qui fraudent le plus

Assurance-maladie : les professionnels de santé sont ceux qui fraudent le plus | Educação, sociedade e atualidade | Scoop.it
L’Assurance-maladie a repéré des fraudes et des sommes indues pour 149 millions d’euros l’an dernier. Assurés, professionnels de santé...

Via Renaloo
more...
No comment yet.
Rescooped by Paulo Alves Mesquita Bueno from EVS NOTÍCIAS...
Scoop.it!

Bolsa Família. Ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome desmonta mitos do programa. Homem adulto que recebe o Bolsa trabalha; mulher não engravida para ter o dinheiro.

Bolsa Família. Ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome desmonta mitos do programa. Homem adulto que recebe o Bolsa trabalha; mulher não engravida para ter o dinheiro. | Educação, sociedade e atualidade | Scoop.it
CAMPELLO DERRUBA OS MITOS CONTRA O BOLSA FAMÍLIA
Conversa Afiada - 29/10/2013
Homem adulto que recebe o Bolsa trabalha ! Mulher não engravida para ter o dinheiro.

Via EUCLIDES SANTANA
more...
No comment yet.
Rescooped by Paulo Alves Mesquita Bueno from Inovação Educacional
Scoop.it!

"Se continuarmos a fazer um ensino superior tipo USP, Unicamp, não vamos atender as massas"

"Se continuarmos a fazer um ensino superior tipo USP, Unicamp, não vamos atender as massas" | Educação, sociedade e atualidade | Scoop.it

Por isso que mudei de ideia durante todo esse tempo diversas vezes. Para descobrir o que não sabia, que era o sistema federal e o sistema privado, tem de pegar os dados e olhá-los em seu conjunto. Você tem a ideia de que há um sistema de ensino superior que não se reduz à universidade e você, digamos, analisando o que estão fazendo, verifica que há um sucesso de mercado. Esse problema tem a ver com o mercado, a oferta, a demanda de ensino superior, e tem a ver com a diversidade do público de ensino superior. Porque se nós continuarmos a fazer um ensino superior tipo USP, Unicamp, não vamos poder atender as massas, as massas não estão preparadas para nós. Aliás, nem precisam. É um tipo de atividade intelectual muito especializado. Essas coisas que nós fazemos aqui são coisas que a sociedade precisa, mas não é necessário que todo mundo faça. Não vamos transformar o país em um país de pesquisadores com as mesmas ideias que nós temos. Não é para isso que existe ensino superior. Isso também é uma visão antropológica. O que eu sou contra nessas universidades federais é que deveriam abrir mão de universidades no mesmo modelo. O primeiro artigo que escrevi sobre universidade era contra o modelo único de ensino superior. Apresentei em uma reunião de reitores, quando comecei a trabalhar com o Goldemberg.

 No Brasil, no conjunto, não mais do que 25% dos alunos matriculados no ensino superior estão em universidades públicas. Se, mesmo quando você vê a disparidade dos números, o custo que a universidade tem, ainda assim tenta reproduzir o processo, aí tem de fazer pós-graduação em todas elas, todo mundo vai fazer pesquisa. Não é por falta de pesquisa que a gente não está resolvendo os problemas. Mesmo porque a grande massa das nossas pesquisas é muito ruim. A minha ideia é que você tinha de aplicar o dinheiro na diversificação do sistema. Porque se você faz esse tipo de universidade, é claro que vai atender um público pequeno. Na medida em que você aumenta o rigor das exigências, menor o público que você atende. E também porque boa parte dessas pessoas vai entrar no ensino superior porque quer um emprego melhor numa área que lhes interessa, não vão querer ser grandes pesquisadores. Mas nosso sistema de universidade está montado, na minha opinião, inteiramente dirigido para formar pesquisador. Se você pegar o seu departamento, ou o meu, ou o dela, o que eles estão querendo fazer é formar futuros mestrandos e doutorandos em Antropologia, por exemplo, que vão fazer pesquisa. Se a Antropologia serve para alguma outra coisa, ou se seria muito importante que você desse Antropologia para Arquitetura ou para outros cursos, isso não interessa para o departamento, o interesse é restrito. Não é o interesse de satisfazer os problemas educacionais do país. Isso vem exatamente desse defeito básico que é a ideia de pensar o sistema do ensino superior como um modelo único, e vem de uma outra coisa que eu chamo de uma ideologia igualitarista-elitista. Todo mundo é a favor que todo mundo entre na universidade. Mas para todo mundo entrar na universidade, todo mundo tem de ser como nós. E você faz o ensino médio com a ideia de que ele permitiria a todos concorrer a qualquer curso da universidade. Quer dizer, você deve preparar igualmente para você entrar no Instituto de Matemática e Estatística ou na Faculdade de Direito, porque tem de ser tudo igual para todo mundo


Via Luciano Sathler
more...
No comment yet.