A Justiça Federal informou nesta terça-feira que condenou a União e o Estado de São Paulo a pagarem indenização de R$ 1 milhão por não terem cumprido com suas responsabilidades para evitar que as escolas particulares aplicassem uma avaliação, conhecida como vestibulinho, a crianças que pretendem ingressar no primeiro ano do ensino fundamental. A prática estava proibida desde 2005 por decisão liminar e agora a Justiça julgou o mérito.