Com o aporte de R$ 100 milhões concluído pela BR Investimentos, gestora de recursos do economista Paulo Guedes, na última sexta-feira, o Grupo Anima de Educação, de Minas Gerais, pretende montar uma nova estrutura organizacional com a compra de instituições de ensino. Ao contrário do que normalmente ocorre no setor de educação, o Anima não está priorizando aquisições de 100% do capital de faculdades. A ideia é integrá-las à holding com um misto de troca de ações e pagamento em dinheiro ao fundador, que passa a compor o conselho.