Ana Maria A.
288 views | +0 today
Follow
Your new post is loading...
Your new post is loading...
Scooped by Ana Maria A. G. de Godoy
Scoop.it!

Leitura e criação de gráficos e tabelas | Plano de Aula | Ensino Fundamental 1 | Nova Escola

Leitura e criação de gráficos e tabelas | Plano de Aula | Ensino Fundamental 1 | Nova Escola | Ana Maria A. | Scoop.it
Leitura e criação de gráficos e tabelas  

 

Discutir os hábitos alimentares da turma é uma boa porta de entrada para trabalhar a produção e análise de diferentes instrumentos de organização de dados

Introdução
No nosso dia-a-dia temos contato com jeitos variados de organizar informações e é na escola que os alunos têm a oportunidade de aprender a observar e analisar esses instrumentos. Nesta sequência, a turma conversará sobre os alimentos naturais e não naturais consumidos diariamente e organizará os dados em tabelas e gráficos. As atividades propostas ajudarão ainda a refletir sobre qualidade dos alimentos versus quantidade de calorias.

Objetivos
- Coletar dados e organizá-los em tabelas e gráficos.
- Ler e comparar informações de tabelas e gráficos de barras.

Conteúdo
Tratamento da informação: tabelas e gráficos.

Ano
5º ano.

Material necessário
Papel, régua, lápis, cartazes e cópias com as tabelas e os gráficos que serão trabalhados.

Tempo estimado
Três aulas.

Desenvolvimento
1ª aula
Proponha que os alunos se dividam em duplas ou trios e conversem sobre os alimentos naturais e não naturais que cada um consome diariamente. Depois, peça que os grupos compartilhem relatos e opiniões com o restante da turma, enquanto você anota na lousa os alimentos mais citados. Em seguida, oriente os alunos a escolher dois itens da lista e dizer em que quantidade eles os consomem por dia - anote o número de porções ao lado do respectivo alimento. Solicite que todos observem os dados da lousa e pergunte se é possível organizá-los de outra maneira. Escute e registre as sugestões. Depois, peça aos alunos que voltem a trabalhar em grupos: metade irá organizar as informações levantadas em tabelas e a outra metade, em gráficos de barras. Se necessário, mostre exemplos publicados em jornais e revistas, permitindo que os alunos usem o material como modelo e relembrem critérios importantes, tais como dar nome ao gráfico ou tabela, selecionar informações, decidir o intervalo dos números que serão tabulados, entre outros. Circule pela sala de aula, tirando dúvidas. Após todos concluírem e socializarem o material produzido, chame a atenção para os títulos usados - questionando a turma sobre quais deles favorecem a compreensão do assunto tratado - e também para os diferentes intervalos e critérios. Comente ainda a frequência de consumo dos alimentos, se eles são naturais ou não naturais e quais contribuem com a nossa saúde.

2ª aula
Peça que os alunos observem dois cartazes: um com o gráfico de barras sobre os alimentos mais consumidos no recreio de uma escola durante três dias e outro com a tabela sobre a quantidade de biscoitos e salgados indicada por especialistas para o período de uma semana.

Frequência dos alimentos consumidos no recreio durante três dias:


Porções liberadas por especialistas para uma semana:

Peça que os alunos se organizem em duplas e entregue a cada grupo uma cópia do gráfico e da tabela acima. Oriente-os a desvendar e registrar algumas informações sobre o material. Nesse sentido, você pode propor questões como:

PARA O GRÁFICO
Com que faixa etária a pesquisa foi realizada? Onde encontramos essa informação?
Onde encontramos a quantidade de alunos que consome cada alimento?
Qual é o alimento mais consumido pelos alunos? Qual é o menos consumido? 
O que há em comum entre os alimentos mais e menos consumidos? Qual é a diferença entre a quantidade desses dois alimentos? 
Quantos alunos participaram da pesquisa? Onde encontramos essa informação? 
Os alunos dessa escola gostam mais de biscoitos ou frutas? De salgados industrializados ou lanches caseiros? É possível dizer se a alimentação desses alunos é saudável ou não?

PARA A TABELA
Qual é o tema tratado na tabela? Onde encontramos essa informação? 
Qual é o alimento mais calórico? E o menos calórico?
Qual é a quantidade de biscoito recheado sugerida para uma semana? Quantas calorias essa quantidade representa? 
Quais alimentos da tabela estão presentes no gráfico?
Para ingerir menos calorias, qual desses alimentos é melhor escolher? Por quê? 
Como saber o que cada coluna representa?

3ª aula
Sugira que os alunos comparem as informações da tabela e do gráfico que eles produziram na primeira aula com o material analisado na segunda aula, propondo as seguintes questões: Quais alimentos aparecem nas duas tabelas? Qual é o alimento mais consumido pela classe? Esse alimento aparece no gráfico analisado? Ele está presente na tabela que mostra as calorias dos biscoitos e salgados? Que conclusões importantes podem ser tiradas sobre os alimentos mais consumidos pela classe e os alimentos analisados a partir da tabela e do gráfico?

Avaliação
Para verificar se os alunos são capazes de ler informações contidas em gráficos de barras e tabelas, proponha outras coletas de dados na classe, como atividades realizadas fora da escola e alimentos mais consumidos no final de semana. Observe se há a presença de título, nomes nas colunas das tabelas e referências nos eixos dos gráficos. Se preferir, use tabelas e gráficos prontos a fim de que os alunos façam a leitura das informações.

more...
No comment yet.
Scooped by Ana Maria A. G. de Godoy
Scoop.it!

Leitura | Nova Escola

Leitura | Nova Escola | Ana Maria A. | Scoop.it

VÍDEOS

 

 

Delia Lerner fala sobre a leitura e a escrita em contexto de estudo
Pesquisadora argentina analisa a leitura e a escrita como objetos de ensino e também como ferramentas de aprendizagem de conteúdos de outras áreas

 

Como organizar uma biblioteca
Educadores e voluntários participam de oficina de incentivo à leitura que traz dicas e sugestões sobre como organizar uma biblioteca

 

Projeto Entorno 2008 - Em busca de novos leitores
Conheça as três frentes de atuação do projeto: formação de professores, coordenadores pedagógicos e diretores; rodas de leitura promovidas por voluntários; e doação de acervo

 

Projeto Entorno 2008 - Ciranda de leitura
Saiba mais sobre a Ciranda Literária, atividade em que alunos trocam indicações de livros com colegas da mesma faixa etária que estudam em outra escola

 

Projeto Entorno 2009 - Incentivo à leitura
Vídeo institucional revela que, em 2009, o número de escolas atendidas pelo projeto dobrou em relação ao ano anterior

 

Projeto Entorno 2009 - Sessões simultâneas de leitura
Iniciativa conta com a realização de sessões simultâneas de leitura, envolvendo toda a equipe da escola

more...
No comment yet.
Scooped by Ana Maria A. G. de Godoy
Scoop.it!

Leitura – Wikipédia, a enciclopédia livre

Leitura – Wikipédia, a enciclopédia livre | Ana Maria A. | Scoop.it

A leitura envolve a identificação dos símbolos impressos (letras e palavras) e o relacionamento destes com os seus respectivos sons. No início do processo de aprendizagem da leitura, a criança deverá diferenciar visualmente cada letra impressa, percebendo e relacionando este símbolo gráfico com seu correspondente sonoro. Quando a criança entra em contato com as palavras, deve então diferenciar visualmente cada letra que forma a palavra, associando-a a seu respectivo som, para a formação de uma unidade Linguística significativa. Neste processo inicial da leitura, em que a criança visualiza os símbolos, fazendo a associação entre a palavra impressa e som, define-se decodificação. Entretanto, para que haja leitura não basta apenas a decodificação dos símbolos, mas a compreensão e a análise crítica do texto lido. Quando não há compreensão pela criança do que se lê no texto, esta leitura deixa de ser interessante, prazerosa e motivadora. Pode-se considerar então que uma criança lê, quando entende o que o texto retrata, pois ela apenas decodifica e não compreende, não se pode afirmar que houve leitura.

A leitura nos insere em um mundo mais vasto, de conhecimentos e significados, nos habilitando inclusive a decifrá-lo; daí a noção tão difundida de leitura do mundo.

A escrita deve ter um sentido para quem lê, pois saber ler não pode ser representar apenas a decodificação de signos, de símbolos. Ler é muito mais que isso; é um movimento de interação das pessoas com o mundo e delas entre si e isso se adquire quando passa a exercer a função social da língua, ou seja, quando sai do simplismo da decodificação para a leitura e reelaboração dos textos que podem ser de diversas formas apresentáveis e que possibilitam uma percepção do mundo.

Ler é uma atividade básica na formação cultural da pessoa. É  uma excelente atividade de lazer. A leitura de uma narrativa bem urdida, de um conto, de uma crônica e de diversos outros gêneros literários constitui uma valiosa atividade a ser incluída em nossos momentos de lazer.

Ler é benéfico à saúde mental, pois é uma atividade neurológica. A atividade da leitura faz reforçar as conexões entre os neurônios. Produz conteúdo que sustenta a capacidade imaginária. Enriquece nosso vocabulário e conhecimento. Faz com que conheçamos vários costumes, culturas diferentes, entre tantas outras novas coisas que podemos aprender.

more...
No comment yet.
Scooped by Ana Maria A. G. de Godoy
Scoop.it!

EducAtiva: Estratégias para trabalhar leitura integrando com o estudo da matemática

EducAtiva: Estratégias para trabalhar leitura integrando com o estudo da matemática | Ana Maria A. | Scoop.it
Estratégias para trabalhar leitura integrando com o estudo da matemática   ARTIGOS DE JORNAIS E REVISTAS:
Descrição: Utilizar artigos de jornais e revistas enquanto motivadores e/ou fonte de dados para o estudo de conteúdos matemáticos.
Método: Selecionar textos jornalísticos relacionados ao tema em estudo. Esses textos podem ser utilizados tanto na exposição de conteúdos como na elaboração de atividades avaliativas ou não.
Objetivos: Ajudar na contextualização dos conteúdos estudados.
Mostrar que textos “não-matemáticos” podem conter informações matemáticas, estreitando a relação entre leitura e matemática.

LEITURAS DE GRÁFICOS E TABELAS:
Descrição: Potencializar a utilização de gráficos e tabelas enquanto motivadores e/ou fonte de dados para o estudo de conteúdos matemáticos.
Método: Problematizar gráficos e/ou tabelas relacionados aos temas em estudo.
Construir gráficos a partir de tabelas. Completar / construir tabelas a partir de gráficos.
Objetivos: Familiarizar os alunos com esse tipo de texto; Desenvolver a leitura de gráficos e tabelas; Mostrar a relação entre essas duas formas de apresentação de dados.
COMPARAÇÃO PROBLEMAS:

Descrição: Apresentar dois ou mais problemas para que sejam comparados.
Método: Inicialmente, através de discussão coletiva, os alunos devem indicar semelhanças e diferenças em relação ao texto dos problemas. O próximo passo é discutir sobre as resoluções dos problemas: são parecidas, ou completamente diferentes? Que algoritmo é utilizado?
Objetivos: Evidenciar a influência do texto na resolução e, posteriormente, na resposta do problema matemático.
PROBLEMAS EM TIRAS:

Descrição: Os alunos recebem trechos desordenados de um problema, que deverá ser montado.
Método: Quando recebem os problemas em tiras, os alunos precisam, antes de partir para a resolução, reorganizar o texto do problema.
VARIAÇÃO: apresentar as tiras com os dados numéricos separados.
Objetivos: Levar os alunos a perceberem como se articula o texto do problema, como é construído e sua importância na resolução.
Provocar uma reflexão sobre o papel dos dados numéricos no texto do problema.

QUE CONTA RESOLVE?
Descrição: São apresentados alguns problemas e, logo após, algumas operações, dentre as quais algumas capazes de resolver os problemas propostos.
Método: A tarefa consiste em ler cada problema e associar a ele a operação adequada, justificando, oralmente ou por escrito, a escolha feita.
Objetivos: Mostrar a relação entre uma leitura apressada e erros na resolução de problemas matemáticos.

CONTINUE:
Descrição: A partir de uma parte dada, desenvolver um problema matemático.
Método: Nem todos os dados estão disponíveis na parte inicial do problema, é preciso colocar outros, articular o texto e finalizá-lo.
Objetivos: Desenvolver o domínio, por parte do aluno, das características do texto de um problema.
Articular conhecimentos matemáticos que o aluno possui para aplicá-los a uma situação nova.

QUAL É O ERRO?
Descrição: Apresentar aos alunos problemas, operações, equações, já resolvidas e pedir-lhes que encontrem os erros presentes, sem identificar o aluno que errou.
Método: Para encontrar os erros, cada aluno precisa examinar toda a resolução com a máxima atenção, repensando assim, cada ação ali representada. É necessário ainda que o aluno tenha a consciência de como se resolve corretamente aquela atividade.
Objetivos: Mostrar que a menor falta de atenção pode comprometer toda uma questão.
Na busca pelo erro, o aluno revisa o conteúdo, bem como identifica os erros mais comuns relacionados àquelas situações.
MAPA CONCEITUAL:
Descrição: Rede de idéias relacionadas a um assunto. O texto pode ser em prosa ou um esquema, contendo os significados, exemplos, ilustrações a respeito de cada idéia.
Método: É proposto um tema (conhecido ou a conhecer)
Sobre esse tema, lançam-se idéias relacionadas, formando uma rede.
Essa rede se transforma em um roteiro para a elaboração de um texto/resumo.
Objetivos: Desenvolver conexões entre os vários assuntos relacionados ao tema central.
Desenvolver autonomia no estudante, quanto à metodologia de estudo extra-classe.

CARTA:
Descrição: Escrever uma carta – preferencialmente com destinatário – a respeito de um conteúdo.
Método: Cartas contando o que: foi exposto na aula; sabe-se a respeito de um tema; representou dúvida. Podem ser usadas como abertura / encerramento.
Objetivos: Verificar se houve aprendizagem. Instrumento de avaliação contínua.

DICIONÁRIO:
Descrição: Construir um dicionário de termos matemáticos
Método: Propor uma lista de palavras e pedir aos alunos que acrescentem significado, item exemplos, façam ilustrações. Uma alternativa é deixar a seleção das palavras a cargo dos alunos.
Objetivos: Mostrar que a matemática tem linguagem e simbologia próprias.
Construir um guia para consulta. Consolidar conceitos.
more...
No comment yet.
Rescooped by Ana Maria A. G. de Godoy from Ana Maria A.
Scoop.it!

Leitura | Nova Escola

Leitura | Nova Escola | Ana Maria A. | Scoop.it

VÍDEOS

 

 

Delia Lerner fala sobre a leitura e a escrita em contexto de estudo
Pesquisadora argentina analisa a leitura e a escrita como objetos de ensino e também como ferramentas de aprendizagem de conteúdos de outras áreas

 

Como organizar uma biblioteca
Educadores e voluntários participam de oficina de incentivo à leitura que traz dicas e sugestões sobre como organizar uma biblioteca

 

Projeto Entorno 2008 - Em busca de novos leitores
Conheça as três frentes de atuação do projeto: formação de professores, coordenadores pedagógicos e diretores; rodas de leitura promovidas por voluntários; e doação de acervo

 

Projeto Entorno 2008 - Ciranda de leitura
Saiba mais sobre a Ciranda Literária, atividade em que alunos trocam indicações de livros com colegas da mesma faixa etária que estudam em outra escola

 

Projeto Entorno 2009 - Incentivo à leitura
Vídeo institucional revela que, em 2009, o número de escolas atendidas pelo projeto dobrou em relação ao ano anterior

 

Projeto Entorno 2009 - Sessões simultâneas de leitura
Iniciativa conta com a realização de sessões simultâneas de leitura, envolvendo toda a equipe da escola

more...
No comment yet.
Scooped by Ana Maria A. G. de Godoy
Scoop.it!

O desafio de ler e compreender em todas as disciplinas | Gestão da aprendizagem | Nova Escola

O desafio de ler e compreender em todas as disciplinas | Gestão da aprendizagem | Nova Escola | Ana Maria A. | Scoop.it
 Leitura e procedimentos de estudos em todas as disciplinas

Nos links abaixo, você encontra reportagens sobre a leitura em cada disciplina e planos de aula com sugestões de como ensinar cada procedimento de estudo.

ARTE
Em Arte, é preciso ensinar a ler textos sem palavras
Gêneros privilegiados
• Imagem
• Texto verbal
• Filme
Procedimento de estudo
• Comentário
Plano de aula: Leitura de quadro e produção de comentário

CIÊNCIAS
Conhecer textos expositivos e instrucionais para questionar
Gêneros privilegiados
• Texto instrucional
• Texto jornalístico
• Texto expositivo
Procedimento de estudo
• Relatório
Plano de aula: Leitura de reportagens e produção de resumo sobre a Amazônia

EDUCAÇÃO FÍSICA
Ler o que o corpo produz
Gêneros privilegiados
• Linguagem corporal
• Texto instrucional
Procedimento de estudo
• Esquema gráfico
Plano de aula: Leitura da linguagem corporal e produção de esquemas gráficos sobre jogos

 

GEOGRAFIA
Leitura de mapas e paisagens
Gêneros privilegiados
• Texto jornalístico
• Mapa
• Texto literário
Procedimento de estudo
• Croqui cartográfico
Plano de aula: Leitura de mapas e produção de croquis sobre desmatamento da mata Atlântica

HISTÓRIA
A leitura crítica de fontes históricas
Gêneros privilegiados
• Texto literário
• Imagem
• Texto jornalístico
Procedimento de estudo
• Relato
Plano de aula: Leitura de documentos e produção de relatos

LÍNGUA ESTRANGEIRA
A importância do contexto
Gêneros privilegiados
• Biografia
• Texto jornalístico
• Texto instrucional
• Canção
Procedimento de estudo
• Esquema
Plano de aula: Leitura e escrita de biografias

LÍNGUA PORTUGUESA
Explorar a diversidade, priorizando gêneros literários e opinativos
Gêneros privilegiados
• Poema
• Crônica
• Conto
• Texto opinativo
Procedimento de estudo
• Roteiro
Plano de aula: Leitura de poema análise semântica

MATEMÁTICA
Problemas matemáticos sem problemas
Gêneros privilegiados
• Enunciado de problema
• Tabela e gráfico
Procedimento de estudo
• Justificativa
Plano de aula: Leitura de problemas com frações e anotações

more...
No comment yet.
Scooped by Ana Maria A. G. de Godoy
Scoop.it!

Leitura | Nova Escola

Leitura | Nova Escola | Ana Maria A. | Scoop.it

REPORTAGENS

 

 

Incentivar a leitura é fundamental
Num país castigado pelo analfabetismo, projetos de incentivo à leitura são muito mais que bem-vindos: são fundamentais

 

Leitura para toda a escola
Ler todos os dias foi a chave para alfabetizar e formar uma comunidade "louca por livros"

 

O ato de ler evolui
Para a psicolinguista argentina, o que se espera de um leitor muda com o tempo. Na era da internet, seletividade e rapidez são características essenciais

 

Ler para escrever
Bons leitores são bons escritores? Nem sempre. Para enfrentar o desafio da escrita, é preciso investigar as soluções de autores reconhecidos

 

Histórias de leitura sem fim
O melhor jeito de formar leitores é deixar as crianças livres para investigar, folhear e escolher o que quiserem

 

Compreender, eis a questão!
Ensine a estabelecer inferência e previsão, estratégias que ajudam a entender melhor um texto

 

Oba, hoje é dia de leitura!
Uma escola faz o acervo circular pelas classes em um carrinho. Outra leva a turma à livraria. Tem também aquela em que todo mundo pára o que está fazendo para ler. Em todas, os alunos estão descobrindo como isso é gostoso. E estão lendo muito melhor!

 

Roger Chatier - O especialista em história da leitura
Pesquisador francês estuda os significados sociais dados aos textos pelo autor e pelo leitor

 

Leitura, um objeto de conhecimento
Livro de Isabel Solé apresenta estratégias de leitura

 

Biblioteca não é depósito de livros
Idealizador de redes de leitura em escolas diz que é função do educador ajudar os estudantes a processar as informações do acervo

 

Recanto do saber
Para que a biblioteca cumpra a função de expandir o conhecimento, é preciso diversificar o acervo e torná-la um ambiente de descobertas

more...
No comment yet.
Scooped by Ana Maria A. G. de Godoy
Scoop.it!

12 de outubro: dia nacional da leitura « O Diário na Escola

12 de outubro: dia nacional da leitura « O Diário na Escola | Ana Maria A. | Scoop.it

Ler é maravilhoso e expande a mente!

 

A leitura engrandece a alma.

 

 

Mário Quintana

A leitura após certa idade distrai excessivamente o espírito humano das suas reflexões criadoras. Todo o homem que lê de mais e usa o cérebro de menos adquire a preguiça de pensar.

 

Albert Einstein

A leitura é uma fonte inesgotável de prazer mas por incrível que pareça, a quase totalidade, não sente esta sede.

more...
No comment yet.