Projeto Alexandria 2ºI Inglês
41 views | +0 today
Follow
Your new post is loading...
Your new post is loading...
Scooped by Camila Sales
Scoop.it!

Introdução

Introdução | Projeto Alexandria 2ºI Inglês | Scoop.it
Camila Sales's insight:

O filme Alexandria relata a história de Hipátia, filósofa e professora em Alexandria, entre os anos 355 á 415. Sendo a única mulher da história, Hipátia ensina filosofia, matemática e astronomia na escola de Alexandria, que era junto à Biblioteca. Hepátia tinha um aluno chamado Orestes, que a amava, mas ela não o correspondia, assim como Sinésio e seu escravo Davus... Mas Hepátia não pretendia se casar, pois dedicava a vida unicamente ao seu pai, à filosofia, matemática, astronomia... Tendo como seu principal objetivo descobrir o movimento da terra em relação ao sol. O filme é marcado por conflitos religiosos e políticos... Na história, o cristianismo, que passou de religião intolerada para religião intolerante, convive com o judaísmo e a cultura greco-romana.

Iremos falar sobre o tema de inglês, sobre a dublagem do filme Alexandria onde mostra que mostra a interligação entre ambos, onde será dividido entre duas partes: "Que diferenças se pode observar entre a legenda e a dublagem do filme ou quanto se pode compreender a partir do áudio original?" e "Que estruturas do Inglês você consegue reconhecer nos diálogos do filme?"

more...
No comment yet.
Scooped by Camila Sales
Scoop.it!

Que diferenças se pode observar entre a legenda e a dublagem do filme ou quanto se pode compreender a partir do áudio original?

Que diferenças se pode observar entre a legenda e a dublagem do filme ou quanto se pode compreender a partir do áudio original? | Projeto Alexandria 2ºI Inglês | Scoop.it
Camila Sales's insight:

Por se tratar de um filme interpretado em uma década, na qual o uso formal da linguagem era predominante, sem nenhuma variação de ocasiões para ser utilizada. Assim, o diferencial da legenda á dublagem é a colocação da palavra no sentido formal no qual quer ser empregada. Quando citamos o uso linguístico formal, nós remetemos, ao local (de trabalho e aprendizado) onde haja uma submissão de poder, intercalando “aprendiz” a “chefe”. A época, na qual o filme se passa, é remetente a luta á igualdade social, tanto religiosa, quanto econômica e politica. Sem distinção de poder, entre homens e mulheres. O próprio filme Alexandria, convive nessa luta, onde uma mulher toma a autoridade nas partes filosóficas, se tornando ministra das assembleias propostas à população. Usando assim o uso formal, para que haja essa igualdade á ambos os sexos. Assim, o sentindo de ambos (dublagem e legenda), tomam o mesmo sentido. Oscilando apenas de sua colocação e qualificação de palavras. Dando a legenda um esclarecimento mais objetivo, comparada à dublagem.

more...
No comment yet.
Scooped by Camila Sales
Scoop.it!

Que estruturas do Inglês você consegue reconhecer nos diálogos do filme?

Que estruturas do Inglês você consegue reconhecer nos diálogos do filme? | Projeto Alexandria 2ºI Inglês | Scoop.it
Camila Sales's insight:

 Apesar, dos atores que interpretaram os protagonistas históricos da época serem Americanos, as estruturas linguísticas são características do latim. Repetindo o mesmo nos nomes das estruturas históricas que são baseadas nas religiões, que são caracterizadas do grego. A cultura que envolve toda a estrutura história, ao serem passadas no Egito, tem as características dos povos presentes da região. Assim, tanto a parte linguística, econômica, política, religiosa e social, possuem bases gregas e latim.

more...
No comment yet.
Scooped by Camila Sales
Scoop.it!

Conclusão

Conclusão | Projeto Alexandria 2ºI Inglês | Scoop.it
Camila Sales's insight:

Resultamos que a relação do Inglês ao filme Alexandria, só é mediante aos protagonistas e toda a equipe cinematográfica. Já que o filme em si, se passa na Grécia, utilizando como linguagem de comunicação o latim. O meio que cerca toda a trajetória do filme também auxilia a essa incompatibilidade. Na cultura, no meio social e politico. Mas é claro que em relação ao Inglês, não impediria naquela época a vivencia com Ingleses (Americanos) estrangeiros, de origem não Grega. Assim, concluímos que as bases comunicativas é resultado ao meio social de cada região, que se insere.

more...
No comment yet.