futebois
35 views | +0 today
Follow
Your new post is loading...
Your new post is loading...
Rescooped by Bruna Campolina from História do futebol no Brasil
Scoop.it!

História futebol brasileiro - Primeiros anos - YouTube

Excelente documentário que mostra o início do futebol no nosso país. Imagens: ESPN Brasil.

Via Ana Clara Cotta
more...
João Pedro Braga de Oliveira's comment, September 14, 2014 9:48 PM
Todos os países afiliados à FIFA foram convidados a competir. 28 de fevereiro de 1930 foi a data estabelecida para que os times se registrassem para o torneio no Uruguai. Brasil, Argentina, Peru, Paraguai, Chile, Bolívia, Estados Unidos e México se inscreveram a tempo, mas a data se passou sem que uma nação do outro lado do Oceano Atlântico se inscrevesse.
Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Copa_do_Mundo_FIFA_de_1930
Ana Leão's comment, September 15, 2014 8:39 PM
@João Pedro Braga de Oliveira alguns comentarios seus serao desconsiderados, ja que vc repetiu o que foi dito acima (preste atençao na discussão anterior antes de fazer o seu comentario...). Algumas perguntas interessantes deixaram de ser respondidas por TODOS: Quem eram os praticantes de futebol em seu inicio? Quando as mulheres entraram no esporte?
Júlia Luiza's comment, September 15, 2014 9:10 PM
A primeira Copa do Mundo da FIFA foi realizada no Uruguai e seus participantes foram: Brasil, Argentina, Peru, Paraguai, Chile, Bolívia, Estados Unidos e México. As principais dificuldades encontradas durante este período foi que o futebol não era oficializado por aqui e também não tinha muitos recursos para que isso fosse adiante.
Rescooped by Bruna Campolina from Futebois - Diferença entre Rugby e Futebol Americano
Scoop.it!

Joinville Gladiators Futebol Americano Futebol Americano e Rugby – Diferenças «

Joinville Gladiators Futebol Americano Futebol Americano e Rugby – Diferenças « | futebois | Scoop.it
Tempo de Futebol Americano da Cidade de Joinville - Santa Catarina - Campeão Estadual 2010

Via Bianca Campolina
more...
Bruna Campolina's comment, June 20, 2014 8:48 PM

O que torna o esporte violento é quem o prática... neste caso o FA é mais violento, pois os americanos praticam desse modo desde pequeno sabendo que "...quanto mais forte for a trombada melhor", já o Rugby é mais companheirismo do que guerra, além de serem mais profissionais, porém a alguns maldosos que apenas utilizam da ideia da guerra. "...é mais uma questão de cultura de onde cada esporte é jogado e como os jogadores o praticam, e assim como sempre vai existir em todo e qualquer esporte, pessoas que o praticam de maneira errada (violenta), acontece no FA como no Rugby".
Ana Leão's comment, July 1, 2014 8:50 AM
Interessante perceber como, mesmo tendo a proteção, essas proteções nao previnem as lesoes ja que os atletas agem violentamente.
Ana Leão's comment, July 8, 2014 9:38 AM
;)
Scooped by Bruna Campolina
Scoop.it!

A 3 meses da Copa, racismo é mais um "fantasma" no futebol brasileiro - BBC Brasil - Notícias

A 3 meses da Copa, racismo é mais um "fantasma" no futebol brasileiro - BBC Brasil - Notícias | futebois | Scoop.it
Árbitros e jogadores negros têm sido vítima de ofensas e agressões no país
Bruna Campolina's insight:

A 3 meses da Copa, racismo é mais um 'fantasma' no futebol brasileiro

 As bananas colocadas no carro do árbitro Márcio Chagas da Silva, em Bento Gonçalves (RS), e os gritos de "macaco" ouvidos pelo volante santista Arouca, em Mogi Mirim (SP), trouxeram à tona e colocaram em pauta um problema ainda "oculto" no futebol brasileiro.

Até a última semana, o racismo no esporte mais popular do país era considerado uma questão abominável, mas exclusivamente "estrangeira". Agora, virou assunto nas mesas de bar, nos escritórios e também nas arquibancadas.

O país sempre lidou com o problema do ponto de vista de "vítima", pelos casos de ofensas racistas em campos europeus ou sul-americanos. De repente, o fantasma apareceu no quintal de casa.

A agressividade no Pacaembu fez com que muitos, nas redes sociais, levantassem a questão: afinal, há tanta diferença assim entre os gritos racistas e outros de natureza distinta, mas ainda assim preconceituosos?

Repúdio

Antes do jogo, uma faixa foi exibida no gramado com a mensagem "O Futebol Paulista repudia o racismo". Em outros lugares do Brasil, o mesmo aconteceu.

A menos de 100 dias da Copa do Mundo, o chamado "país do futebol" parece parar para pensar no que nunca havia pensado. Os estádios estão sendo palco de manifestações que ultrapassam o nível de aceitação popular.

Além dos constantes problemas de violência, os públicos reduzidos e a ameaça de greve por partes dos jogadores, agora o futebol brasileiro ganha um "fantasma" com o qual não esperava ter de lidar.

Os dois casos de racismo que ocorreram em território nacional expuseram só agora algo que é mais frequente do que se imagina.

Jogadores, técnicos ou árbitros negros ouvem constantemente ofensas racistas dentro de campo ou na ida ao vestiário, mas, ao contrário do que aconteceu na semana passada, os casos dificilmente tornam-se públicos.

Medo

Outro fator que ainda "cala" as vítimas de racismo no futebol brasileiro é o medo de sofrerem alguma retaliação. "As pessoas ficam com receio de ter represália, de não ser escalado mais e aí não se pronunciam", disse o juiz gaúcho.

Para o cientista social Marcel Diego Tonini, pesquisador da USP que tem trabalhos de mestrado e doutorado sobre o tema "negros no futebol", o fato de os negros conviverem com "piadas" e brincadeiras racistas desde crianças acaba levando-os a "se acostumar" com o problema.

"Os negros são desencorajados a enfrentar casos de racismo. Esse não foi o primeiro que o Arouca, por exemplo, deve ter sofrido na vida dele", explicou. "Todos esses pequenos episódios que aconteceram na trajetória dos negros no Brasil, as brincadeiras, os pequenos insultos, levam a pessoa a falar: ‘não vai dar nada, então vou me calar’", acrescentou Tonini.

Punição

Para o presidente da Federação Gaúcha, Francisco Noveletto, enquanto não houver uma punição severa para as atitudes racistas no futebol, elas continuarão sendo frequentes nos estádios brasileiros.

"Teria de colocar uma punição específica no regulamento para dar mais força. Tem que tirar ponto, rebaixar, aí os caras vão pensar dez vezes antes de fazer uma coisa dessas. É só a CBF pôr no regulamento. Tem que vir de cima, presidente da Federação não pode fazer muita coisa", relatou.

Para o cientista social Marcel Diego, os dois casos recentes seriam uma boa oportunidade para o Brasil dar o exemplo para o mundo na luta contra o racismo no futebol. Para ele, é o momento de o país acabar com o mito de ser uma "democracia racial" e tomar uma atitude efetiva para coibir as ofensas racistas nos estádios.

 

(A matéria completa esta no site)

 

more...
Bruna Campolina's comment, July 6, 2014 7:09 PM
Acho que esses atos pode ser extintos pelas próprias pessoas que sofreram o racismo mostrando que um ato como esse nao os incomoda pois eles se aceitam e se gostam assim...
Bruna Campolina's comment, July 6, 2014 7:13 PM
"Mais do que a rejeição da cor da pele de um povo, o racismo se constitui na negação da história e da civilização desse povo; a rejeição de seu ethos, de seu ser total. A diversidade, contudo, é a condição universal da existência humana, e a riqueza da experiência humana se funda em grande parte na interação, na intercomunicação e no intercâmbio entre culturas específicas. O objetivo verdadeiramente revolucionário não é erradicar as diferenças (...) [mas antes] evitar que elas sejam transformadas em pedras fundamentais da opressão, da desigualdade de oportunidades ou da estratificação social."

—Abdias do Nascimento e Elisa Larkin Nascimento
Ana Leão's comment, July 8, 2014 9:40 AM
;)
Rescooped by Bruna Campolina from kyrodrigues
Scoop.it!

Os piores casos de racismo no futebol | EstadioVip - Futebol brasileiro e mundial

Os piores casos de racismo no futebol | EstadioVip - Futebol brasileiro e mundial | futebois | Scoop.it
O Caso do volante Gabriel Tiné, de 16 años, that was Chamado de macaco, in english, Pelos juvenis que Juventus da Itália Trouxe à tona hum Tema desagradável e Recorrente sem futebol, o racismo.

Via Kyria Rodrigues
more...
Ana Leão's comment, June 30, 2014 6:53 PM
Kyria, nao basta linkar! Preciso da sua problematizaçao propondo um debate. Resuma o link, dê sua opiniao e soluçao para esses casos. Refaça!
Rescooped by Bruna Campolina from Curiosidades do Futebol
Scoop.it!

O primeiro estádio brasileiro

O primeiro estádio brasileiro | futebois | Scoop.it

O primeiro estádio brasileiro foi o Velódromo de São Paulo, que, originalmente, desde 1875 sediava competições ciclísticas. Para abrigar um jogo entre o Paulistano e o São Paulo Athletic, uma família tradicional paulistana resolveu construir arquibancadas em torno dele, em 1902.


Via Lucas Oliveira
more...
Lucas Oliveira's comment, July 1, 2014 10:54 AM
"No fim, a Copa de 2002 será lembrada como a “Copa High-Tech”. O estádio de Sapporo, no Japão, que custou 470 milhões de dólares, parece obra de ficção científica. O gramado foi montado sobre uma plataforma de 8 000 toneladas do lado de fora. Nos dias de jogos, uma operação de 5 horas levava a plataforma lentamente para dentro de campo." ; "De todo modo, os dois países não economizaram. Investiram bilhões de dólares para construir e reformar os 20 estádios que receberam jogos — a maior quantidade de toda a história." Acho que da pra ter uma ideia dos gastos, né?
Lucas Oliveira's comment, July 1, 2014 10:56 AM
Ana Leão, acho que não tem solução pra isso, sempre existirão as pessoas com maior poder que roubam as outras pessoas.
Ana Leão's comment, July 8, 2014 9:38 AM
;)