Por isso, fiel ao espírito do dia, vou-me imaginar professor transplantado de um qualquer liceu central de mil e novecentos maravilhado com esta coisa com páginas que mexem a cores e botõezinhos que evitem que suje os dedos com o mergulhar do aparo no tinteiro. E parece que já não tenho que manuscrever as avaliações numéricas e descritivas naquelas folhas enormes em que um erro ou pequeno borrão de tinta obrigam a reescrever de novo.