embrião em cultura in vitro
15 views | +0 today
Follow
Your new post is loading...
Your new post is loading...
Scooped by Luiza Ferrari Colarino
Scoop.it!

A tutela jurídica do embrião implantado à luz da dignidade da pessoa humana - Âmbito Jurídico (Assinatura)

A tutela jurídica do embrião implantado à luz da dignidade da pessoa humana
Âmbito Jurídico (Assinatura)
Ela provinha de um embrião fecundado através de uma nova técnica, em pesquisa há mais de dez anos: a fertilização in vitro.
more...
No comment yet.
Scooped by Luiza Ferrari Colarino
Scoop.it!

Cientista consegue silenciar cromossomo causador da Síndrome de Down - Jornal do Povo de Três Lagoas

Cientista consegue silenciar cromossomo causador da Síndrome de Down - Jornal do Povo de Três Lagoas | embrião em cultura in vitro | Scoop.it
Cientista consegue silenciar cromossomo causador da Síndrome de Down
Jornal do Povo de Três Lagoas
O procedimento consiste em uma fertilização in vitro , produzindo vários embriões. “Faz-se um teste genético ...
more...
Mariana Hope's comment, September 9, 2013 8:13 PM
Em um trabalho feito com células tronco retiradas da pele de uma garota com síndrome de down um cientista conseguiu inativar o cromossomo causador do distúrbio. Tal experimento representa um grande avanço para o desenvolvimento de técnicas de erradicação dessa síndrome; o que é um ponto positivo. Pelo fato desta pesquisa ter sido realizada em células tronco e ser nova, a ideia de testá-la em humanos vai demorar ainda muito para ser exercida. Na matéria é explicado como tal processo foi feito: A mulher possui dois embriões do qual um é inativo no período embrionário - conhecido como Xist - o qual foi usado para tal pesquisa. Os pesquisadores pegaram este mesmo cromossomo e colocaram-o dentro do cromossomo 21, em uma célula que tinha três cromossomos. O xist inativou o terceiro, de tal forma que apenas dois ficaram funcionando. "O Xist fez o mesmo papel que faz com o X na fase embrionária da mulher, só que no cromossomo 21 - e em células-tronco”, explica o geneticista"
Achei muito interessante e inteligente tal processo.
Scooped by Luiza Ferrari Colarino
Scoop.it!

Projeto de Estatuto do Nascituro inviabiliza pesquisa com células-tronco - Consultor Jurídico

Projeto de Estatuto do Nascituro inviabiliza pesquisa com células-tronco - Consultor Jurídico | embrião em cultura in vitro | Scoop.it
Projeto de Estatuto do Nascituro inviabiliza pesquisa com células-tronco Consultor Jurídico Outra questão a ser considerada é que o diagnóstico pré-implantatório, prática auxiliar à fertilização in vitro, também seria inviabilizado pelo Estatuto do...
more...
No comment yet.
Rescooped by Luiza Ferrari Colarino from Cultura de massa no Século XXI (Mass Culture in the XXI Century)
Scoop.it!

Após perder filho, casal seleciona embrião 'sem risco' genético de câncer

Após perder filho, casal seleciona embrião 'sem risco' genético de câncer | embrião em cultura in vitro | Scoop.it
Um casal britânico, que perdeu um filho vítima de um tipo raro de câncer no cérebro, conseguiu ter o segundo filho saudável após passar por tr...

Via Rogério Rocha
more...
Mariana Hope's comment, September 9, 2013 7:52 PM
Essa matéria exprime o perfeito exemplo do ponto positivo do qual o tratamento com embrião pode provocar: Isto é, após perderem um filho por conta de um câncer, um casal procurou tal método para conseguir obter um novo filho, sadio. O embrião que foi implementado no útero da mãe não carrega, no caso, o gene que aumenta os riscos de tal câncer. A mãe, Nikky, no caso, é portadora de um gene que aumenta a predisposição ao câncer, um problema conhecido como síndrome de Li--Fraumeni.
Para o processo, dois embriões foram analisados, e o sadio foi implantado nela, que conseguiu engravidar, felizmente. Ao mesmo tempo que é triste a história do casal, da qual perdeu um filho com cinco anos, é bonito ver que eles conseguiram a partir deste processo um novo filho que não tivesse tal disposição - a de desenvolver o câncer- e ainda o batizaram como o seu filho Ben, agora falecido, pediu: Tom.
As chances do novo filho deste casal desenvolver o câncer é mínima, mas existe (4 %).
Scooped by Luiza Ferrari Colarino
Scoop.it!

Primeiro bebê de proveta do mundo comemora 35º aniversário - Voz da Russia

Primeiro bebê de proveta do mundo comemora 35º aniversário - Voz da Russia | embrião em cultura in vitro | Scoop.it
Voz da Russia Primeiro bebê de proveta do mundo comemora 35º aniversário Voz da Russia Na FIV, o óvulo é retirado do organismo da mulher, ele é fertilizado artificialmente e o embrião (ou os embriões) obtido é desenvolvido numa incubadora, depois...
more...
Amanda Lucchi's comment, September 10, 2013 2:11 PM
O artigo além de comemorar e relembrar o tempo desde a origem do primeiro bebê fruto da fertilização in vitro, pontua tanto aspectos positivos quanto negativos relativos ao método. Primeiramente - e inegável- este é um avanço muito significativo para a ciência e a sociedade como um todo. Ainda, pode-se ter um filho sendo infértil e também planejar a gravidez: "os embriões podem ser "fabricados" com antecedência, congelados e descongelados quando isso for mais conveniente". Há diversos problemas na aceitação da fertilização, como por parte da Igreja Católica que, considerando o embrião humano como indivíduo, seria induzida à teoria de tráfico de seres humanos e a destruição de embriões como aborto.
Amanda Lucchi's comment, September 10, 2013 2:20 PM
Pessoalmente me preocupo com a ideia suscitada no texto sobre os futuros e previstos avanços nos estudos embriológicos: "em breve será possível determinar pelo DNA o aspecto físico de uma pessoa e escolher uma criança mais bonita. À medida que os testes genéticos e a investigação se for desenvolvendo, iremos descobrir os genes responsáveis pela inteligência. Será possível escolher a versão mais bem sucedida numa série de embriões". Eu acredito que esse é um retrocesso na evolução uma vez que a seleção natural e o cruzamento comum entre um casal fértil na intenção de produzir descendentes poderia ser amplamente reduzido. Não acho certo a ideia de colocar a ação natural de escanteio e ter a opção de escolha entre "filhos mais ou menos inteligentes", por exemplo. O mundo se tornaria muito artificial uma vez que eu quase não tenho dúvidas de que existiriam indivíduos de sobra que aceitariam as condições de fertilização in vitro buscando um "filho melhor". A ação natural perderia vez para todos os clichês e estereótipos que se estendem na mentalidade da população mundial. Imagine um mundo onde quase só existissem estereótipos de beleza e padrões de intelecto?!