Armazém da Cultura
21 views | +0 today
Follow
Your new post is loading...
Your new post is loading...
Scooped by Armazém da Cultura
Scoop.it!

7 regras (e um contraponto) para administrar a Geração Y - EXAME.com

7 regras (e um contraponto) para administrar a Geração Y - EXAME.com | Armazém da Cultura | Scoop.it
7 regras (e um contraponto) para administrar a Geração Y EXAME.com Márcia Luz, psicóloga, autora do livro “Agora é pra Valer” (DVS Editora), dá sete sugestões para reter - e um bom motivo para demitir os famosos e temidos profissionais da Geração Y...
more...
No comment yet.
Rescooped by Armazém da Cultura from Pobre Gutenberg
Scoop.it!

O Brasil não pode cometer o mesmo erro que, nós europeus, cometemos na inicio da era digital | Gestión Cultural Formación y Comunicación Dosdoce

O Brasil não pode cometer o mesmo erro que, nós europeus, cometemos na inicio da era digital | Gestión Cultural Formación y Comunicación Dosdoce | Armazém da Cultura | Scoop.it

“O Brasil não pode cometer o mesmo erro que, nós europeus, cometemos. Imaginávamos que a representatividade do livro digital era muito pequena e não nos preparamos. Deixamos que as grandes plataformas internacionais tomassem conta do nosso mercado, que interferissem em parte de nossa cultura, de nossa identidade cultural.” Para ele, as livrarias e bibliotecas são parte da identidade de um país e não podemos perdê-las, mesmo que diante de grandes e radicais transformações, como a da revolução digital.


Via booqlab
more...
No comment yet.
Rescooped by Armazém da Cultura from Inovação Educacional
Scoop.it!

Brasil atrai centros globais de pesquisa

Brasil atrai centros globais de pesquisa | Armazém da Cultura | Scoop.it

Foi-se o tempo em que grandes empresas multinacionais de tecnologia se estabeleciam no Brasil, com fábricas e escritórios, mas a parte de pesquisa e desenvolvimento (P&D), que gera inovação e agrega valor aos produtos e serviços, ficava no exterior. É crescente o número de anúncios de instalação de centros de P&D de multinacionais no País. Empresas como as americanas GE e Boeing e a inglesa BG Group estão desembarcando seus primeiros centros aqui. Outras, como a alemã Siemens, a sueca SKF e a americana 3M estão ampliando ou abrindo novos centros. Juntos, eles representam investimentos de quase US$ 2,5 bilhões nos próximos anos.

“O Brasil se tornou um polo de atração de investimentos em P&D”, diz Carlos Eduardo Calmanovici, presidente da Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras (Anpei). É importante para o País ter mais empresas fazendo inovação, porque significa a possibilidade de gerar produtos e serviços cada vez mais densos em conteúdo tecnológico, capazes de tirar da armadilha em que se encontra a balança comercial brasileira. “Dependemos da importação de produtos de alto conteúdo tecnológico e exportamos commodities, de menor valor agregado”, afirma Calmanovici.

A principal razão que levou o País a entrar no novo mapa de inovação são os desafios e perspectivas de ganhos na cadeia bilionária de negócios do pré-sal e nos investimentos em infraestrutura, principalmente para a Olimpíada e a Copa do Mundo. O crescimento do mercado doméstico e a existência de universidades e cientistas capacitados para parcerias com as empresas também contribuíram. O governo fez a sua parte, criando um ambiente mais favorável à inovação, por meio de uma política de incentivos.

Em geral, os centros de P&D que as multinacionais estão trazendo para o Brasil têm o mesmo modelo de funcionamento. Atuam próximo dos clientes para descobrir suas necessidades locais, transformando as demandas em pesquisas e, depois, em soluções. “Hoje, não se consegue idealizar novos produtos e soluções partindo apenas do pessoal próprio. É preciso interagir com outros atores, universidades, fornecedores, clientes e outras empresas inovadoras”, diz o diretor de Tecnologia e Inovação da Siemens do Brasil, Ronald Dauscha.


Via Luciano Sathler
more...
No comment yet.
Scooped by Armazém da Cultura
Scoop.it!

Rebeldia e ativismo político amazônico na web - Observatorio Da Imprensa

Rebeldia e ativismo político amazônico na web - Observatorio Da Imprensa | Armazém da Cultura | Scoop.it
Rebeldia e ativismo político amazônico na web
Observatorio Da Imprensa
Este artigo analisa a formação de uma rede alternativa criada em 2012 na web em solidariedade ao jornalista e sociólogo Lúcio Flávio Pinto, editor do Jornal Pessoal.
more...
No comment yet.
Rescooped by Armazém da Cultura from Inovação Educacional
Scoop.it!

Estudo cobra esforço para formar professores; 25% não têm faculdade

Estudo cobra esforço para formar professores; 25% não têm faculdade | Armazém da Cultura | Scoop.it

Objetivo para garantir a qualidade da educação pública, a formação de todos os professores em nível superior foi preconizada em 1996 na Lei de Diretrizes e Bases (LDB), mas ainda está longe de se tornar realidade nas escolas brasileiras. O Anuário Brasileiro da Educação Básica 2013, lançado na quarta-feira pelo Movimento Todos pela Educação, aponta que cerca de 25% dos docentes ainda possuem, no máximo, o ensino médio ou magistério. Para especialistas, além do esforço para graduar os educadores, é preciso aprimorar a qualidade da formação.

Em sua segunda edição, o anuário foi organizado de acordo com os temas contemplados nas 20 metas propostas no Plano Nacional de Educação (PNE), que tramita atualmente no Senado Federal. Na proposta inicial, apresentada em 2011, a meta era de que todos os professores tenham nível superior até 2020.

O documento do Todos pela Educação mostra que as desigualdades da sociedade brasileira também estão evidentes na formação dos professores. Enquanto nos Estados do Centro-Oeste, 84,3% dos educadores já possuem formação em nível superior, isso é verdade para 58,1% dos docentes da educação básica do Nordeste e para 63,9% dos professores que atuam no Norte do País. Já no Sudeste, 82,5% possuem pedagogia ou licenciatura.

O anuário aponta ainda a educação a distância como "ferramenta poderosa" para elevar o nível de formação dos professores. E diz que, além de garantir que todos tenham curso superior, é fundamental investir na formação continuada. "É preciso fortalecer o trabalho de coordenação pedagógica dentro das escolas, contratando e formando profissionais para esse cargo fundamental da gestão escolar".


Via Luciano Sathler
more...
No comment yet.