A razão de ser:

Seguindo uma definição de Nina Friedemann em “Cabildos negros, refugios de africanias en Colombia” (Revista Montalbán, Caracas: Universidade Católica Andrés Bello,1988), podemos entender africanias como a bagagem cultural submergida no inconsciente iconográfico dos negro-africanos escravizados que se faz perceptível na música, na dança, na religião, na poesia, no modo de ser e de ver o mundo, na língua, e que, no decorrer dos séculos, como forma de resistência e de continuidade na opressão, se transformaram e se converteram em matrizes para um novo sistema cultural e linguístico que nos identifica como brasileiros.

Esta revista eletrônica foi idealizada pelo NGEALC para tratar de temas recentes e atuais do que temos em nós da herança e do legado dos povos negro-africanos, através de uma linguagem renovadora, crítica e diferenciada da visão europeizante e etnocêntrica que ainda permeia os estudos afrobrasileiros e não afro-brasileiros como prescrito na recente reforma ortográfica que parece considerar o termo afro como se fosse um aparte e não parte inscrita da nossa identidade cultural e linguística. Assim, portanto, pretendemos que a nossa africania esteja sempre presente nas páginas de Africanias.com